fbpx

Receitas para toda Família

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Comer em Dublin

Junho 29, 2015

A Irlanda não é famosa pela sua culinária e não ia com ideias de comer nada de especial, mas regressada de Dublin, só posso dizer que tive pena de não ter lá ficado mais tempo para experimentar outras coisas… não consegui comer nenhum guisado tradicional nem experimentei ostras ou salmão fumado… mas tive a felicidade de experimentar boa pastelaria, limerick ham… e a belíssima cerveja claro!

Estive lá só dois dias e algumas das refeições foram feitas à pressa… mas tenho de referir dois sítios que recomendo vivamente a quem lá for…


O O’Neills Bar & Restaurant é um sítio muito interessante, que tivemos de repetir. É um espaço enorme, de dois andares, com várias salas e que tem uma decoração e ambiente muito irlandês. Não há serviço à mesa, existem vários balcões com as diferentes comidas (sandes, tábuas de frios ou pratos mais elaborados) e 3 ou 4 bares de cerveja e whisky. Fomos uma vez ao almoço e outra ao jantar num dia em que estava a passar um jogo de futebol nas televisões gigantes que eles lá têm. Apesar de ser um espaço muito grande, o ambiente é simpático e acolhedor. Nós comemos as duas vezes no bar de sandes, onde nos foi muito difícil escolher o que comer por parecer tudo demasiado apetitoso… aconselho a visitar o site, que tem muita informação sobre os vários espaços, os menus, fotografias e algumas receitas!

No primeiro dia pedi uma tábua de carnes frias, com pickles, cebola caramelizada, cogumelos salteados, o típico pão de soda e três molhos diferentes (manteiga, alho e mostarda picante). Foi aqui que fiquei a conhecer o limerick ham… é difícil descrever o quão bom é aquilo! Supostamente é fiambre mas não sabe a fiambre nem tem a textura de fiambre… é uma carne super macia e saborosa que simplesmente derrete na boca… 

 Tábua com angus beef, pastrami, limerick ham e peru
Soube-me muito bem, mas não conseguia tirar da cabeça a ideia de comer uma sande de queijo brie derretido com chutney e molho de arando… e por isso lá tivemos de voltar no dia seguinte 🙂

O outro sítio onde também tivemos dificuldade em decidir o que comer e que adorávamos ter tido tempo para repetir foi o Queen of Tarts. Foi uma novidade para mim, mas os irlandeses adoram pastelaria! Existem imensas pastelarias e cafés com tartes e bolos complexos e com muito bom aspeto! No Queen of Tarts servem refeições leves, mas obviamente que as estrelas principais são os bolos, tartes, cupcakes, brownies, bolachas, cheesecakes e crumbles… têm uma montra irresistível, cheia de cores e sabores diferentes, tudo com aspeto caseiro e delicioso! Têm serviço de mesa mas também de take away e de encomendas. Existem dois espaços abertos neste momento, aquele a que nós fomos foi em Cork Hill e apesar da decoração e ambiente serem muito românticos e engraçados, o espaço é pequeno e estava bastante cheio e barulhento… foi a única coisa menos boa… 

Tínhamos opções tais como: chocolate fudge cake, bolo de cenoura, cheesecake de baileys, pão de ló com morangos e chantily, crumble de morango e ruibarbo, crumble de maçã e mirtilos, bolo de chocolate sem farinha, bolo de laranja sevilhano, cheesecake de chocolate e framboesa, de limão e mirtilo, roulade de chocolate e morango, cupcakes de todas as formas e feitios… uff…

Depois de muito escolher, lá nos decidimos por uma tarte de chocolate, pêra e amêndoa e uma tarte decadente de chocolate e nozes pecãs… tudo ótimo! Também aconselho a visitar o site, que tem os menus e várias informações sobre as duas lojas que estão abertas. 


Fica aqui mais uma fotografia de uma outra tarte que dividimos num café chamado “Abreu’s café”, junto ao rio:

Apesar do aspeto não ser tão caseiro, o chocolate era maravilhoso!

Quem procurar um restaurante onde comer bem baratinho, pode ir ao StarPizza perto da estação Connolly… 5 euros dão direito a uma pizza média com dois ingredientes, batata frita e um refrigerante… e a pizza é boa!

Em relação ao famoso pequeno-almoço irlandês… que é semelhante ao inglês e que inclui pão de soda, ovos estrelados, feijão, chouriço de sangue, salsichas, carnes frias variadas e tomate… não posso dizer que tenha ficado fã… a nossa estadia incluía pequeno-almoço e por isso comemos no hotel… experimentei o feijão só pela curiosidade e fiquei sem perceber como é que as outras pessoas o comiam com tanta vontade! Não sei se é assim em todo o lado, mas aquele feijão sabia-me a polpa de tomate não cozinhada… 

E para terminar, não podia deixar de falar na Guinness!

Fomos ver o museu da Guinness, que pelos vistos é a atração turística mais visitada e adoramos! É um museu bastante grande e muito interativo, onde ficamos a saber tudo desde a produção, ao marketing, a como se tira uma cerveja, como se saboreia… e no final temos direito a uma “pint” no último andar onde tem vista panorâmica sobre a cidade… a Guinness, tirada à pressão, é muito diferente da nossa cerveja… é muito mais leve, quase não tem gás, é mais aromática, menos amarga e tem uma espuma difícil de definir… mas aquilo fazia-me lembrar natas batidas em chantily de tão macia e cremosa! Resumindo… desce que é uma maravilha! 🙂
Para quem tiver a sorte de estar a planear uma ida a Dublin, ficam aqui dois artigos com sugestões de restaurantes recomendados:


Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.